0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Ensino

Falta de professores: "situação está encaminhada"

Afirmação é da coordenadora da 15ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Andréia Ascari

As aulas que não foram ministradas deverão ser recuperadas
Por Amanda Mendes
Foto ArquivoBD

A espera pelo preenchimento do quadro de professores nas escolas estaduais, está próximo ao fim. Neste ano, as direções e coordenações sofreram para adequar o cronograma de aula, em função da falta de professores. Com a sensibilidade da comunidade escolar, atos de mobilização foram realizados e a situação já está se normalizando.  
Conforme a coordenadora da 15ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Andréia Ascari, em Erechim apenas a Escola Estadual Irany Jaime Farina ainda não está com o quadro completo. "Estamos procurando professores para as áreas de Língua Inglesa e Artes, que faltam, respectivamente, oito e quatro períodos de aulas", pontuou em entrevista ao Bom Dia. 
Na região, outro município apresenta demandas, como é o caso de Campinas do Sul, que solicita regente de Língua Portuguesa, considerando que a professora entrou em laudo gestante. "Nós já estamos encaminhando um contrato emergencial para suprir a necessidade dessa escola", reforçou Andréia.  
A coordenadora explicou que a situação marcou o início do ano letivo, mas que aos poucos está sendo resolvida. "Foram várias faltas de professores, contudo, estamos realizando os contratos temporários e a ampliação de cargas horárias dos professores que já estão na rede", destacou. 
Neste ano, os contratos em caráter emergencial também sofreram alterações, o que contribuiu na demora dos encaminhamentos dos professores. "Em 2019 houve mudanças no contrato, que agora impõe data de início e término, antigamente eles eram por tempo indeterminado, tanto que há professores com 20 anos de carreira sem ser concursado. Agora, quando os contratos não tiverem mais necessidade, será encerrado e isso será percebido no processo de gerenciamento", argumentou a coordenadora.
A medida adotada pela Secretaria Estadual de Educação orientou o remanejamento de profissionais das coordenações às salas de aula. "Até pessoas que estavam na 15ª CRE retornaram para o ambiente escolar", pontuou Andréia. 
A coordenadora ressalta, também, que a prioridade está voltada aos alunos e, para isso, os profissionais foram remanejados de outros setores à sala de aula. "Nossa orientação é que os estudantes não sejam dispensados, considerando que é papel da coordenação, vice-direção e direção assumir essas turmas na falta do professor. Afinal, quando um educador se submete ao concurso é para ministrar aulas", pontuou Andréia, citando ainda, que as aulas que não foram ministradas deverão ser recuperadas conforme o calendário de cada instituição.

 

Publicidade

Blog dos Colunistas