0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Ensino

Turno Integral do Marista Medianeira desenvolve projeto Fora de Órbita

A ideia do tema surgiu a partir da curiosidade das crianças

Marista
Por Assessoria de Imprensa
Foto Divulgação

Um lugar escuro, sons desconhecidos e luzes piscando... Depois do reconhecimento do “primeiro universo” que habitamos, o útero materno, os estudantes do Turno Integral do Colégio Marista Medianeira partiram para uma “viagem intergaláctica” repleta de curiosidades: Porque o mundo não cai? As estrelas piscam? O que tem embaixo da terra? E a partir destes questionamentos, surgiu o Projeto Fora de Órbita, em que as crianças ampliaram seus conhecimentos em relação ao universo e ao Sistema Solar, pesquisando sobre a Lua, sobre os planetas, sobre a rotação e translação da Terra, Lei da ação e reação, sobre as camadas da atmosfera terrestre, e até mesmo sobre a representação gráfica em escalas.

 

Em um primeiro momento, os estudantes construíram o mapeamento do projeto, considerando as diferentes etapas nesta trajetória de aprendizagem, o que já sabem/ o que pretendem aprender e suas descobertas, tendo como fio condutor a curiosidade das crianças e a escuta atenta. O projeto também buscou levar em consideração o pensamento infantil como essência cientista, que busca constantemente respostas para suas dúvidas e curiosidades. A percepção de que o dia e a noite acontecem porque a Terra gira em torno de si mesma, provocou estranheza e, ao mesmo tempo, interesse em saber mais.

Após, junto com o auxílio das monitoras, construíram um foguete em grande escala dentro da sala de aula e, através da imaginação, puderam acionar os controles e viajar pelo espaço!

Na oficina de Musicalização, as crianças elaboraram paródias com o tema do projeto, em que montaram as letras utilizando músicas já conhecidas, e também exercitaram o canto e a expressão corporal.

Na oficina de Investigações Geográficas, as crianças estudaram os mapas do Brasil e do Mundo e aprenderam sobre a representação gráfica em escalas, construindo gradativamente suas próprias percepções sobre o EU no MUNDO.

Até mesmo estudantes de outros níveis participaram do projeto. O estudante do 9º ano EF, Pietro Farina, conversou com as crianças, compartilhando seus conhecimentos e esclarecendo conceitos, dando uma verdadeira aula sobre o universo. Pietro destacou que “este é um tema que sempre despertou o seu interesse e se tornou um de seus campos de estudo preferidos. ”

Nos Episódios de Ciências, cada estudante construiu o seu próprio foguete de brinquedo, com as orientações do instrutor, para que compreendessem que material deveriam utilizar para que os foguetes pudessem voar. E não é que voaram mesmo! Teve até o dia do lançamento, em que o instrutor utilizou ar comprimido e água, realizando manobras e voos diversos, levando os foguetes a atingirem alturas e distâncias diferentes, onde puderam compreender na prática, noções de ação e reação.

Dentro do Yoga, os estudantes aprenderam a utilizar algumas posturas que remetiam às formas e posições dos planetas, trazendo toda questão de centralidade do eu com o espaço. Já na oficina de Nexo, que trabalha jogos e desafios de raciocínio lógico, as crianças aprenderam mais sobre noções de localização, percurso e distância.

Para o estudante Lucas Balvedi Leandro, do Nível 3 da Educação Infantil, “o projeto é muito legal, porque ele e os amigos já aprenderam um monte de coisas. ” Dentre elas, Lucas contou que “a Terra se formou de uma explosão de um meteoro e que 12 astronautas já foram para a Lua! ”

Para a Coordenadora do Turno Integral, Talita Luana Bandurka, o projeto Fora de Órbita impulsiona tanto a curiosidade como a imaginação das crianças, sendo que o tema proporciona relações e aprendizados mais concretos, bem como alguns que acontecem de forma mais subjetiva. Possibilitar a construção do conhecimento através de provocações investigativas, permite que a criança construa seu percurso de aprendizagem, mobilizada pela mediação constante dos educadores a qual fomenta para a resolução de situações problemas que surgem durante o projeto. Aprender através da relação é o que torna o conhecimento carregado de sentido!

Publicidade

Blog dos Colunistas