0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Erechim

Músicos relatam como a pandemia está afetando projetos

Sem agenda de apresentações, artistas apostam nas redes sociais para se manter próximo ao público

Banda In Manibus
Banda Kruerz
Zé Leandro
Por Amanda Mendes
Foto Divulgação

Um dos setores mais atingidos pela pandemia provocada pelo novo coronavírus, a cultura, ainda não tem previsão de retorno das atividades. Nesse período, músicos têm se reinventado para enfrentar a situação de distanciamento social, pela impossibilidade de realizar apresentações.

Esse é o caso do músico de Erechim, José Leandro da Silva, mais conhecimento como Zé Leandro, que está atuando como motorista de aplicativo e fotógrafo. “Tenho mais de 30 anos de carreira, com passagem por diversos grupos, tais como o Tchê Barbaridade, Tchê guri, Chiquito e Bordoneio e Os 4 Gaudérios. Recentemente, iniciei uma carreira solo, mas tive que interrompê-la por causa da pandemia”, contou à reportagem do Jornal Bom Dia.

“Antes mesmo dessa situação que estamos vivendo, já estava enfrentando dificuldades. Afinal, iniciar um novo negócio, por mais que se tenha tempo de estrada não significa retorno imediato. Eu moro de aluguel, com a mesma imobiliária há sete anos, já tentei realizar alguns acordos por não estar conseguindo manter uma agenda de apresentações, mas ela não facilita. Nesse período eu tenho me reinventado, realizando trabalhos como fotógrafo e dirigindo por meio de um aplicativo, para conseguir garantir o básico. Ainda, tenho conseguido me manter com a ajuda de muitos amigos”, acrescentou Zé Leandro.

A apreensão do músico está atrelada ao seu pensamento de que o ramo artístico será um dos últimos a retomar as atividades. “Nossa categoria foi uma das primeiras a parar e, com certeza, será a última a voltar. Espero que a normalidade seja retomada o quanto antes e que nossa cidade não sofra muitos impactos, mesmo sabendo que o número de casos confirmados pela doença só está aumentando. Por enquanto, meus projetos seguem na gaveta e a espera de patrocínios, mas realizei uma live na última quarta-feira (10), com quase 100 mil visualizações, disponível em meu canal no Youtube. Os outros integrantes da minha banda também possuem outras fontes de renda, estamos sofrendo com a pandemia, mas com fé em Deus logo estaremos de volta”, concluiu.

Confira a live do cantor no link: https://www.youtube.com/watch?v=MAiSSwOBv94&feature=youtu.be

Dupla rotina

Os membros da banda erechinense In Manibus possuem dupla rotina, conciliando suas profissões com as atividades do grupo.

À reportagem o vocalista e compositor, Fabrício Soares, comenta que a pandemia só provocou o cancelamento de shows. “Nós conciliamos nossas profissões com os trabalhos e a agenda de tarefas da banda, que consiste em: composição, ensaios, produção de materiais para as mídias sociais e o planejamento estratégico para o lançamento do EP (Extended Play) Na Contramão, além do novo single ‘E quando tudo isso passar’. Os limites impostos pela pandemia cancelaram a agenda de shows do primeiro semestre, exigindo da banda criatividade e flexibilidade aos novos tempos”.

“Entendemos que o distanciamento social é a melhor maneira de prevenir o contágio, e como artistas sentimos falta do palco, do calor e da alegria de interpretarmos nossas músicas para nosso público, as redes sociais são uma ferramenta ágil e dinâmica que supre as necessidades do momento, mas para quando tudo isso passar podemos garantir, a In Manibus com força total. As questões econômicas serão superadas com trabalho, dedicação e amor, sentimos que podemos colaborar para esse novo momento da humanidade por meio da nossa arte, da nossa visão de mundo”, complementou Fabrício.

A In Manibus, é composta, ainda, por Kuki Freitas (contrabaixo), Igor França (bateria), Rodrigo Alves Pereira, mais conhecido como (Digão), na guitarra.

“Sentimos falta das apresentações”

A rotina dupla também é uma realidade partilhada pela banda Kruerz de Erechim. “Como nós quatro temos outras profissões, com salários garantidos, então, não dependíamos da banda para nosso sustento. Contudo, sentimos muita falta da atuação, de mostrar nossa música para o público e, acredito, que esse fator seja o que mais está nos afetando”, relatou o guitarrista e vocalista, Fábio Friedrich.

A banda está produzindo o segundo álbum e, por causa da pandemia, as gravações tiveram que ser suspensas. “O estúdio que nos atende ficou fechado e está voltando as atividades agora, então estamos conseguindo seguir com as gravações, tomando todos os cuidados e usando os equipamentos de proteção individual. Ainda, estamos aproveitando esse momento para realizar lives, na última semana fizemos uma para arrecadar doações à Aquarela Pró Autista. Essa alternativa serve, também, para mantermos o contato com o público, nessa apresentação, por exemplo, pessoas de diversas cidades e estados nos acompanharam”, concluiu Fábio.

A banda conta, ainda, com Cristian Carvin (guitarrista e backing), Arthur (baixista e backing) e Diego (baterista). 

Confira a live da Kruerz no link: https://www.facebook.com/LasVegasRockBar/videos/929652907498249/ 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas