25°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Ensino

Escolas da região tem projetos selecionados para a Expointer 2022

Os projetos de cooperativismo e práticas sustentáveis serão apresentados na próxima edição da feira

teste
1.jpeg
2.jpeg
4.jpeg
6.jpeg
a.jpeg
b.jpeg
c.jpeg
5.jpeg
Por Assessoria de comunicação
Foto Ascom

Tendo em vista a importância das práticas educativas voltadas a sustentabilidade no campo, com destaque para as ações cotidianas, duas escolas estaduais da região de abrangência da 15ª CRE, vêm desenvolvendo projetos de sustentabilidade e cooperativismo com seus estudantes. Estruturados principalmente a partir de aspectos pedagógicos e educativos, os projetos estão sendo capazes de gerar consciências, ações, atitudes e capacidades que motivam, estimulam e fortalecem a construção de um presente e futuro sustentável, economicamente viável para as comunidades escolares e a sociedade. A convite da Secretaria Estadual de Educação, as escolas públicas estaduais do campo tiveram a oportunidade de apresentar experiências pedagógicas que estão sendo desenvolvidas, através de projetos interdisciplinares, curriculares e extracurriculares, nas temáticas de cooperativismo, preservação ambiental, agroecologia, tecnologia, alimentação saudável, entre outros que fazem parte das especificidades de cada escola.

A apresentação de projetos pedagógicos das escolas do campo na Expointer já é tradicional, onde juntamente com escolas municipais e comunitárias constitui-se um espaço de diálogo, reflexões e sensibilização através da divulgação das propostas pedagógicas, voltadas para as peculiaridades do meio rural. Neste ano, foram selecionados 15 projetos da rede estadual de educação para a apresentação na feira, sendo dois deles, de escolas da região do Alto Uruguai – Escola Estadual de Ensino Fundamental Nossa Senhora das Graças, de Marcelino Ramos e Escola Estadual de Ensino Fundamental Dourado, de Aratiba.

Cooperativismo estudantil

O projeto “Cooperativismo: ações cooperadas com o meio ambiente”, tem sido responsável por estimular e desenvolver nos estudantes e na comunidade escolar, o espírito cooperativista, que os tem levado a desenvolver habilidades para uma atuação responsável no processo de transformação do seu meio social, no âmbito da EEEF Nossa Senhora das Graças. Com o apoio de uma instituição cooperativa de crédito, a escola iniciou o processo de criação da cooperativa escolar, visando desenvolver atividades referentes ao sistema de residência, gerenciamento e controle das atividades administrativas e de convivência sócio-cultural dos estudantes da unidade escolar. Foram desenvolvidas práticas sustentáveis como: horta orgânica, manejo e adubação do pomar, composteira, coleta, separação e reciclagem dos resíduos, produção de sabão de limão com reaproveitamento da gordura da cozinha, plantio de ervas medicinais, produção de inseticida caseiro, entre outras. Através da participação no projeto cooperativa-escola, os estudantes estão se capacitando nos processos de fomento do espírito cooperativista, administração de recursos e integração com outras entidades, participando assim, da transformação das comunidades onde estão inseridos. Além destas atividades, a escola abordou pautas como alimentação saudável, qualidade de vida, vida familiar e social, êxodo rural, valorização do homem do campo, geração de emprego e renda, educação financeira, desenvolvimento econômico, trabalho, ciência e tecnologia.

Educação no campo e a erva-mate

Envolvidos neste contexto e observando que o cultivo de erva-mate tem um importante papel no desenvolvimento de diversas regiões do estado, a EEEF Dourado desenvolveu o projeto “Educação no Campo - Desenvolvendo alternativas economicamente sustentáveis na escola com erva-mate”. Visto que essa é uma cultura fundamental para a economia de muitos municípios no sul do Brasil, bem como de Aratiba, sendo o principal produto não madeireiro do agronegócio florestal na região, esta foi a temática escolhida por professores e estudantes. Além do envolvimento dos estudantes, comunidade escolar, empresas, entidades, cooperativas e comunidade em geral, também apoiaram e participaram das atividades realizadas. Ao decorrer do projeto diversas ações foram desenvolvidas, como visitas a ervateiras e a propriedades rurais com culturas de erva-mate, palestras, pesquisas, estudos e oficinas sobre o cultivo, manuseio, benefícios e produtos oriundos da erva-mate (alimentícios, higiene, entre outros). Além destas atividades, os estudantes também desenvolveram slogans, folders, maquetes, audiovisuais, diversos gêneros textuais, gráficos e tabelas relativos a produção, custos e lucros da erva mate, oficinas de cooperativismo e associativismo e outras. Cada ação foi pensada visando a interação com as áreas de conhecimento essenciais a cada nível de ensino, com as alternativas economicamente viáveis a sucessão familiar, envolvendo escola e comunidade em prol de uma educação de qualidade.

As escolas selecionadas irão apresentar seus respectivos projetos no estande da Expointer, destinado à Secretaria de Educação. A 45ª edição da Feira acontece de 27 de agosto a 04 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas