Publicidade

Geral

Morre Milton Doninelli, pioneiro do rádio na região

Primeiro radialista de Erechim é reconhecido pela carreira construída em mais de 60 anos

Milton Doninelli durante o desfile dos 100 anos de Erechim.JPG
Milton com colegas da Rádio Difusão.jpg
Minton Doninelli no seu aniversário de 90 anos.JPG
Por Da redação
Foto Arquivos BD

Aos 90 anos, Milton Doninelli, o primeiro locutor do rádio regional, morreu na manhã desta terça-feira (31), em Erechim. A última aparição pública do radialista aconteceu durante o desfile dos 100 anos de Erechim, realizado em abril deste ano.

A participação no desfile, aliás, foi uma homenagem proposta pelos próprios colegas de imprensa.

Ele deixa a esposa Lúcia. O local e horários do velório e missa de sepultamento ainda não foram comunicados.

Milton Doninelli foi o primeiro locutor de rádio na região do Alto Uruguai, iniciando suas atividades com 19 anos de idade, em 1947. Ele foi locutor comercial, discotecário, agente de publicidade, comentarista esportivo e repórter de campo, entre tantas outras funções dentro do rádio, também valendo-se das emoções causadas pelo uso das palavras para estar sempre presente nas casas dos ouvintes repassando informações e fatos importantes.

O profissional Milton Doninelli

No passado, Doninelli desfrutou da popularidade que a “era do rádio” proporcionou, semelhante aos efeitos da televisão e do cinema na era contemporânea. O sucesso profissional e o trabalho sério transformaram o pioneiro do rádio um personagem marcante na história de Erechim.

Entre os troféus, placas e medalhas que recebeu em mais de 60 anos da carreira, o profissional revelou em entrevista ao jornal Bom Dia, em março deste ano, quando estava completando 90 anos de idade, um carinho especial pela distinção que recebeu no cinquentenário da Rádio Difusão, onde trabalhou até 2009: “Milton Doninelli: sonho de criança, garra de um jovem, credibilidade e experiência de um jovem. Rádio Difusão 50 anos. Você faz parte desta história”!

Antes de estrear no rádio, em 3 de julho de 1947, Milton Doninelli usava o timbre aveludado da voz para anunciar os filmes apresentados nos cinemas de Erechim. Foi dele a ideia de percorrer as ruas com um sistema móvel de som para atrair público para as casas de espetáculo. Mais tarde sua voz foi escolhida por voto popular para inaugurar um sistema fixo de alto-falantes no município.

O ingresso no rádio representou o início de uma carreira brilhante. Iniciou como repórter, passando também pelas funções de redator, anunciador, fez programas de auditório, de estúdio e comentários e reportagens esportivas.

“Fiz de tudo no rádio. Só não realizei a transmissão de futebol. Até gerente de rádio eu fui”, recordou naquela oportunidade, o ex- gerente da Rádio Salete de Marcelino Ramos.

Em um documentário produzido com a finalidade de resgatar um pouco da história da rádio regional, o amigo e ex-colega Idylio Badalotti, também falecido, disse que Doninelli podia ser considerado a enciclopédia do rádio, pois acompanhou as diversas fases desta ferramenta de comunicação.

Muitas eram as histórias e momentos guardados na memória do radialista aposentado Milton Doninelli. Sobre Erechim, cidade que cresceu junto com a sua pessoa, disse que não imaginava que iria crescer tanto: “Muitas pessoas deixam suas cidades para trabalhar em Erechim. Nunca mais voltam. Aqui é bom de morar, trabalhar e viver. Talvez por isso cresceu tanto”, falou em entrevista ao Bom Dia. (Com informações de entrevista feita pelo jornalista Antônio Grzybowski, feita em março de 2018 e publicada no jornal Bom Dia).

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas