Publicidade

Geral

Usuários aprovam entrada pela frente

Alterações que estão sendo implantadas decorrem do novo contrato de concessão do serviço de transporte público municipal

Há quinze dias passageiros entram pela frente
Lilian Tomaz está se adaptando as mudanças
Catarina da Silva gostou das alterações
Aristides Hamister achou ótima a entrada pela frente
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Ígor Dalla Rosa Müller

O transporte coletivo urbano de Erechim vem passando por algumas alterações nos últimos quinze dias. Entre elas está o acesso dos passageiros ao ônibus pela porta da frente do veículo, que antes era realizado pela parte de trás. Até o final do ano deve ser implantado ainda a bilhetagem eletrônica e o reajuste da passagem, que passará ser de R$ 3,27. As mudanças decorrem do novo contrato de concessão do serviço de transporte público municipal. A concessão terá prazo de 25 anos e pode ser prorrogada por mais cinco anos, no entanto, está condicionada a avaliação dos serviços prestados pela concessionária. Tendo em vista isso, o Bom Dia foi conversar com os usuários do transporte público para saber o que acham da primeira alteração, a entrada nos ônibus pela frente.

Está se adaptando as mudanças

Para Lilian Tomaz, 34 anos, doméstica, moradora do bairro Presidente Vargas, que usa o ônibus desde que se conhece por gente, não gostou muito das mudanças. “Mas dizem que é para melhorar”, afirma. “Achei muito transtorno entrar pela porta da frente, a gente não está acostumada”, explica. Segundo Lilian, a roleta veio para frente também e isso acabou aglomerando as pessoas na entrada do ônibus. “O pessoal entra e não sabe o que faz, fica ali parado”, comenta. Para ela, vai um tempo para se adaptar, mas vai acabar se adequando as mudanças. “Daqui uns dias a gente já está bem acostumada, é só o começo”, enfatiza.

Gostou das alterações

A aposentada Catarina da Silva, que mora no centro de Erechim e usa até três vezes por dia o transporte coletivo, achou boas as mudanças, mesmo já entrando pela porta da frente por ser aposentada. “Achei bom porque tinha muita gente que entrava lá por trás e saia sem pagar”, observa. Segundo Catarina, a questão dos bancos preferencias está satisfatória para ela também. “Tem um só ônibus que ficou junto o banco na frente, que não se consegue nem entrar para sentar”, comenta.

Melhorou 100%

O aposentado Aristides Hamister, morador do bairro São Cristovão, que utiliza bastante o transporte público de Erechim e caminha com auxílio de muletas, em função de ter a perna direita mecânica, gostou muito da nova maneira de embarcar nos ônibus. “Achei ótima a mudança. Gostei muito disso aí. Ficou melhor graças a Deus”, afirma. Para Aristides, agora deram a devida atenção aos idosos e deficientes que precisam do transporte coletivo.

De acordo com ele, até dentro do ônibus ficou bom também, já que facilitou a chegada até os bancos preferenciais. “Antes era difícil sentar, agora melhorou 100%”, ressalta. O acesso ao veículo está bom, comenta Aristides, a não ser quando os ônibus param longe da calçada. “O que está ruim é o calçamento onde os ônibus passam na parada. Isso aí é uma vergonha”, conclui.

Empresa

Há mais ou menos 15 dias, os usuários do transporte público de Erechim começaram a embarcar nos veículos pela porta da frente. Segundo um dos diretores da Empresa de Transportes Gaurama João Batistus, vencedora da licitação, a frota tem 46 ônibus e somente 14 ainda não estão adaptados com a entrada pela frente. “Isso porque são veículos mais antigos que serão substituídos por novos a partir de outubro”, afirma.  

Batistus explica que a primeira fase é a mudança do fluxo de passageiros para frente, depois a substituição dos veículos antigos, que já passaram da idade, em seguida a implantação da bilhetagem eletrônica.

Conforme ele, a previsão é que no mês de outubro seja implantado o novo contrato de concessão, a partir daí o valor da passagem será reajustado passando a R$ 3,27, hoje está em R$2,60. “O valor está bem defasado, há três anos sem reajustes”, comenta. O diretor solicita paciência e compreensão dos passageiros, já que a empresa está numa fase de transição.

As mudanças no transporte coletivo público de Erechim decorrem de uma Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual, que determinou a anulação do então contrato vigente, sendo determinado que a cidade realizasse processo licitatório como previsto em lei.  

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas