Publicidade

Esportes

Nos pênaltis, Ypiranga avança às quartas da Copinha

Canarinho enfrentará o desconhecido Real na próxima fase

Ypiranga comemora vitória sobre o Cruzeiro
Ypiranga comemora vitória sobre o Cruzeiro
Ypiranga comemora vitória sobre o Cruzeiro
Goleiro do Cruzeiro defendeu uma cobrança
Goleiro do Ypiranga vibra após defender uma cobrança do Cruzeiro
Por Edson Castro
Foto Edson Castro

Foi com todas as doses de adrenalina que o Ypiranga passou à próxima fase da Copa Wianey Carlet. Neste domingo (4), o Canarinho ficou no empate sem gols, o mesmo 0 a 0 da ida, diante do Cruzeiro, e teve que decidir nos pênaltis a vaga para as quartas de final. Foi quando venceu por 3 a 1, após duas bolas na trave do Cruzeiro e uma defesa de Rodrigo.

Fim do drama e festa no Colosso da Lagoa. Agora, na próxima etapa da competição, o Canarinho terá um time bastante desconhecido do futebol gaúcho, o Real, de Capão da Canoa, que foi a grande "zebra" destas oitavas de final, ao eliminar o favorito Pelotas.
E o primeiro jogo, já deverá ser na próxima quarta-feira. Novamente, por ter melhor campanha, o Canarinho decidirá a vaga em casa e por isso o primeiro jogo será em Capão da Canoa.

O jogo
Para a partida deste domingo, o treinador Marcio Nunes decidiu manter a escalação com Saimon,  Claudinho, Marcão e Renan fazendo a linha de defesa. A novidade foi Joãozinho no meio. E assim, o Ypiranga começou pressionando. 
A 6min18, após cobrança de escanteio, Marcão cabeceou na trave. Pouco depois, Saimon lançou Vandinho que chutou cruzado, muito próximo do gol de Dida.
A partir daí o jogo passou a ter pouca emoção, ficando bastante disputado no meio e laterais, e embora, algumas jogadas ofensivas, nada de perigo aos dois goleiros.
Até que aos 36min, Skilo arriscou de fora da área, porém para fácil defesa de Dida. A partida já ia para o final da etapa, quando aos 46min, Janderson tentou de fora da área e em chute cruzado exigiu a melhor defesa do jogo, feita pelo goleiro do Canarinho, Rodrigo.
Querendo a vitória ainda no tempo normal, Marcio Nunes mandou a campo ainda no intervalo, o lateral Ruan, no lugar de Renan. A idéia era deixar o time mais ofensivo. E a 1min15, cruzamento para a área e Frontini acabou cabeceando para fora.
Apesar do empenho dos dois times, poucas chances foram sendo criadas, as principais delas pelo Ypiranga, como aos 21min, quando João Vitor recebeu cruzamento e cabeceou por cima.
As bolas aéreas, aliás, foram se tornando a tônica do jogo. Aos 24min, foi a vez de Jackson tentar da entrada da área, mas a bola passou ao lado da trave, em uma boa chance do Canarinho.
Os dois times passaram a fazer várias alterações. O Cruzeiro sabia que se fizesse um gol, estaria muito bem no jogo, pois qualquer empate com gols, o classificaria. A 42min, no entanto, Fabricio fez falta em Vandinho e acabou expulso. E ficou nisso mesmo, fim de jogo e empate em 0 a 0.

Pênaltis
Na cobrança de pênaltis, Rogerinho abriu a série e marcou para o Cruzeiro. O goleiro Dida começou assustando os torcedores do Canarinho ao defender a cobrança de Skilo. Mas nas duas cobranças seguintes, o Cruzeiro acertou a trave. Primeiro foi Janderson, no poste à direita de Rodrigo. Ai, Jackson cobrou e empatou para o Ypiranga. Então, o zagueiro André acertou o travessão.
Na sequência, Ruan cobrou e virou o placar para o Ypiranga. Então, brilhou a estrela do goleiro Rodrigo, que defendeu a cobrança de Cassio. Vandinho foi para a bola e sabia que se fizesse acabaria a série: e foi o que aconteceu, para a alegria da torcida Canarinho: 3 a 1 e Ypiranga classificado.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas