Publicidade

Esportes

Professor mais experiente e com sede de vitórias

Cirio Quadros é apresentado como treinador do Ypiranga para 2019 e retorna ao Clube após quase duas décadas

Círio Quadros
Por Edson Castro
Foto Edson Castro

Conforme o jornal Bom Dia havia adiantado em sua edição na manhã desta quarta, à tarde foi apresentado no Colosso da Lagoa o treinador Cirio Quadros, o comandante da casamata do Ypiranga para a temporada 2019. Com a chegada dele, a direção do Clube aposta em um nome conhecedor e já campeão da Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho, conhecedor do Colosso da Lagoa e mais experiente que Marcio Nunes, demitido mês passado.

O treinador foi apresentado pelo presidente do Clube, Adilson Stankievicz, os diretores de futebol Ricardo Argenta, Walmor Vanz e Adelcio Mores, além do gerente de futebol, Renan Mobarack.

A primeira meia hora da coletiva de imprensa no entanto, foi utilizada por Stankievicz e Mobarack para fazer uma avaliação da temporada 2018, considerada por ambos como muito boa para o Ypiranga, especialmente pela conquista da vaga na Copa do Brasil, via Copa Wianey Carlet, neste final de ano.

Depois, Cirio se apresentou e passou a ser sabatinado pela imprensa. Primeiro ele falou sobre o novo tamanho do Ypiranga. “Quando sai daqui, no início dos anos 2000, o Clube vivia um outro patamar. Hoje trata-se de um clube maior, com uma estrutura bem diferente e consequentemente com novas responsabilidades”, salientou.

Sobre os principais objetivos para 2019, não elencou um a um, mas disse que o Clube começa pensando na Série B do Gauchão. “Esta é nossa primeira grande meta. Copa do Brasil é mais fase a fase, não tem como definir um objetivo macro. Mas a Série B sim, a gente quer estar na briga pelo título e consequentemente voltar para a primeira divisão. O Ypiranga, pelo seu tamanho, pela estrutura e importância que passou a ter no futebol, não pode mais disputar a Série B Gaúcha”, frisou o comandante.

Ainda sobre metas, falou do Brasileiro da Série C. “A gente entrará nesta competição para chegar à Série B. Não vamos apenas para melhorar campanhas de anos anteriores. Este tem que ser o pensamento. Claro que trata-se de uma competição bem difícil, mas quando se entra numa disputa, se quer o melhor”, acrescentou.

 

Grupo de jogadores

Stankievicz e Mobarack falaram em manter uma base do time de 2018 para o próximo ano. Sem citar nomes, apenas disseram que a “espinha dorsal” está encaminhada.

Para Cirio, o ideal seria contar com um grupo entre 28 e 32 jogadores, incluindo atletas da base. “A gente está conversando e claro que eu quero participar deste processo de definição dos atletas. O que a gente quer antes de mais nada, são jogadores comprometidos com a vitória, com o Clube e que possam agregar trabalho ao grupo”, salientou o treinador.

Ele disse querer ter o time definido até o início da pré-temporada, agendada para dia 3 de janeiro, em função da estréia na Copa do Brasil, possivelmente dia 7 de fevereiro e na Série B do Gauchão, muito provavelmente para dia 17 de fevereiro.

“Precisamos pelo menos 30 dias de preparação e minha ideia é fazer ao menos três bons amistosos. Sou adepto de jogo importante na pré-temporada, a gente tem que sentir como está o time. Perder fazer parte, mas não adianta fazer amistoso só para ganhar”, explicou.

 

Comissão técnica

Cirio deixou claro que vai querer ter um auxiliar técnico de sua confiança. Segundo ele, esta será a única exigência em termos de nomes para compor o restante da comissão técnica para o trabalho no Colosso da Lagoa.

Disse não ter preferência por nome para o restante dos cargos e que tudo será tratado de agora em diante com a direção.

 

Contato

Adilson Stankievicz revelou aos jornalistas que as tratativas com Cirio Quadros iniciaram há cerca de 10 dias. “A ideia era trazer um treinador que pudesse dar sequência ao trabalho deste ano, aprimorando para conquista de novos objetivos em 2019”, frisou.

“O Cirio é um treinador bastante conhecido de Erechim, sabe muito bem como funciona o Colosso da Lagoa, tenho certeza que poderá nos ajudar muito no próximo período”, ampliou o presidente.

 

Demissão de Marcio Nunes

Para Adilson Stankievicz, Marcio Nunes deixou o Colosso da Lagoa com um bom trabalho realizado. “A gente conseguiu resultados expressivos em todas as competições que disputamos, inclusive com a conquista da vaga na Copa do Brasil”, pontuou.

Questionado, admitiu que a pressão do torcedor sobre o técnico nos últimos jogos da Copa Wianey Carlet foram preponderantes para a mudança no comando do time. “A gente não queria começar o ano com esta animosidade entre torcida e comissão técnica. Não temos duvidas que o trabalho dele foi bom, mas neste momento talvez a mudança teria que ser feita”, completou.

Publicidade

Blog dos Colunistas