22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,52 Dólar R$ 4,04
22°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 4,52 Dólar R$ 4,04

Publicidade

Geral

Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

Acredito que o jornalismo responsável é o único capaz de oferecer uma oportunidade para apresentar os fatos aos cidadãos e para que estes formem suas opiniões.

liberdade de imprensa.jpg
Por Salus Loch

Hoje (3) de maio comemora-se o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa – pilar fundamental à manutenção e fortalecimento de princípios democráticos.

Nem todos, porém, pensam assim – com os quais, respeitosamente, discordo.

Aliás, esta é a essência da liberdade de expressão: não precisamos concordar com tudo que é dito por todos, mas devemos, sempre, dar ao outro o direito de se manifestar livremente (e que cada um arque com seus excessos ou acessos extremos).

Valorizar a Liberdade de Imprensa, especialmente no acelerado mundo online – com efeitos reais na vida offline – é prezar pelo debate, a troca de opiniões e a informação responsável (aquela que ouve os dois lados, por exemplo). É discutir o mundo em nossa volta; e não o ‘pseudo mundo’ em torno de nosso umbigo, alimentado por algoritmos que nos aproximam justamente daqueles que nos entregam, em regra, ‘mais do mesmo’.

 

Aqueles que tombaram

O Observatório da UNESCO registrou que 99 jornalistas foram mortos em 2018, enquanto um total de 1.307 jornalistas foram assassinados entre 1994 e 2018 por discordar de poderosos de diversos níveis. Muitos foram mortos pela ousadia. Descansem em paz – e obrigado.

A impunidade por crimes cometidos contra jornalistas, aliás, é uma ameaça que afeta a todos e exige constante estado de vigilância.

 

Verdades, tolerância, empatia e amor

Como diz a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, em um época caracterizada por crescente discurso de desconfiança e deslegitimação da imprensa e do jornalismo (aqui e alhures), é essencial que a liberdade de opinião seja garantida por meio do livre intercâmbio de ideias com base em verdades factuais, sob a prerrogativa de que a segurança de quem arrisca ir além esteja garantida.

Acredito que o jornalismo responsável é o único capaz de oferecer uma oportunidade para apresentar os fatos aos cidadãos e para que estes formem suas opiniões. E falo isso, essencialmente, por ter tido a oportunidade de entrevistar, até então, sete sobreviventes do Holocausto nazista, que exterminou 6 milhões de judeus durante a 2ª Guerra Mundial – alimentado pelo discurso do ódio e calcado na opressão à liberdade de imprensa e opinião.

Precisamos, sim, narrar os fatos do cotidiano – apontando erros, cobrando soluções e exigindo providências das autoridades, mas devemos, também, falar de respeito, tolerância, empatia, amor e dos bons exemplos. Devemos praticar e defender a liberdade de imprensa. Especialmente frente àqueles que a refutam. Firmes. Fortes. Livres. Sempre.

 

 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas