0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Esportes

O rally brasileiro pode crescer muito mais, avalia piloto

Rally
Por Assessoria de imprensa
Foto Edson Castro
O piloto gaúcho Rafael Cabello disputou recentemente, no início do mês, a maior prova de rally de velocidade do Brasil, o Rally de Erechim. A prova costuma reunir o maior público, ser uma das mais longas e desafiadoras. Ao lado do navegador da casa, Rafael Karpinski, Cabello competiu pela categoria RC3 (4x2), com o VW Gol, e embora problemas mecânicos tenham atrapalhado a busca por um resultado melhor, ele destacou a evolução que se conquista a cadaparticipação na prova. “É um rally diferente, que gera muita ansiedade e estresse mas que é recompensador. É uma atmosfera diferente, muito público, as pessoas pedindo autógrafo, grandes competidores e você envolvido nisso tudo acaba aprendendo muito”, salienta. Para ele, o rally de velocidade é um esporte que ainda pode crescer muito no Brasil. “Eu sou um apaixonado por este esporte, que é na minha visão, o que mais próximo fica do público, as pessoas conseguem visualizar in loco o trabalho do piloto, do navegador. É sensacional. Tenho uma grande referência que é o Horst (Wegermann, falecido em 2018), que até duas semanas antes do seu falecimento estava competindo, sendo que havia competido por mais de 35 anos no rally”, pontua. “Hoje nós temos algumas categorias bastante evoluída no Brasil como a Mitsubishi Cup e os UTV´s (Cross Country), porque não termos mais provas do velocidade junto a estas categorias? Acredito que grandes eventos poderiam ser realizados com maior visibilidade e possibilidades a todos”, acrescenta Cabello. Para ele, o próprio Campeonato Gaúcho, hoje o mais importante regional do Brasil no rally de velocidade, poderia ter uma expansão maior. “Levar o rally para outras cidades, fazer mais pessoas conhecerem o esporte, mais patrocinadores descobrirem o grande potencial que tem esta modalidade”, afirma. Cabello cita o potencial que patrocinadores tem em levar mais que a marca no carro de competição. “Nós temos um patrocinador que vem conosco há anos que é a Viemar. Juntos, já conseguimos desenvolver peças que a empresa levou do rally para as ruas. Isso a gente precisa pensar mais, evoluir, abrir as portas para que mais empresas possam aproveitar este potencial de desenvolvimento dos seus produtos, além claro da divulgação que podem ter em marca e todo o mais”, amplia Cabello. Ele e Karpinski competem atualmente no Campeonato Gaúcho, mas o sonho também está no nível nacional. “A gente conversa muito com outras pessoas que gostam e querem desenvolver o esporte também em nível nacional. Acredito que há espaço e possibilidades, por isso precisamos acreditar que podemos fazer ainda mais no rally de velocidade”, completa Cabello. O Campeonato Brasileiro de Rally vai à Lençóis Paulista (SP) para as próxima etapa, em julho. No mesmo mês, no dia 13, tem a quinta etapa do Gaúcho, em Panambi.

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas