0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Região

“É uma situação complicada”

Afirma o prefeito de Carlos Gomes, Egídio Moreto, sobre a falta de acessos asfálticos nos municípios do Estado. Na sua avaliação reunião com governador foi produtiva, mas não o que os prefeitos esperavam

Ponto importante é que os prefeitos estão unidos para solucionar o problema da falta de acessos asfá
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Arquivo BD

O prefeito de Carlos Gomes, Egídio Moreto, fez uma avaliação positiva do encontro promovido pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), que reuniu representantes dos municípios do estado sem acesso asfáltico, e a audiência com o governador, Eduardo Leite. No entanto, segundo Egídio, não foi aquilo que os prefeitos esperavam. “Dentro de certa possibilidade foi positiva”, disse.  

Ele explica que vai ser possível encaminhar algum recurso da bancada federal aos municípios sem acesso asfáltico. “Não serão os recursos que haviam comentado, na faixa dos R$100 milhões da emenda de bancada, mas deve ficar em torno de R$ 50 milhões”, afirma.

O prefeito comenta que depois da reunião Famurs os prefeitos tiveram audiência com o governador, que se comprometeu em colocar mais R$ 35 milhões. “Não é lá um montante grande de dinheiro, mas vai dar para atender alguns municípios com trechos menores sem acesso asfáltico”, diz. E, acrescenta, o secretário Juvir Costela se mostrou disposto em ajudar os prefeitos e achar alternativas de recursos.

Segundo Egídio, como o estado está em crise tem que tentar juntar as forças nesses poucos recursos que tem. “Uma soma aqui outra ali e daqui uns anos, quem sabe, se encerra essa novela de acesso asfáltico”, observa.  

União

Egídio, que é um político experiente, observa que os prefeitos estão unidos em prol dos acessos asfálticos. “Isso é muito importante e fundamental. A comissão está bem unida, todos trabalhando no mesmo sentido. No entanto, é uma situação complicada, mas essa é uma maneira de enfrentar, temos que se juntar para poder um dia zerar esse déficit do estado”, afirma.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas