16°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,41 Dólar R$ 5,44
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,41 Dólar R$ 5,44

Publicidade

Geral

Amigos da Alegria confeccionam mais de 700 máscaras para doação

Amigos da Alegria confeccionam mais de 700 máscaras para doação
Amigos da Alegria confeccionam mais de 700 máscaras para doação
Amigos da Alegria confeccionam mais de 700 máscaras para doação
Por Assessoria de Comunicação
Foto Arquivo Amigos da Alegria

Com as atividades presenciais temporariamente suspensas por causa da pandemia da Covid-19, os Amigos da Alegria estão desenvolvendo ações solidárias para permanecer em contato com os próprios voluntários, mas, sobretudo, para manter o vínculo com os pacientes e cuidadores. Dentro do projeto “Vírus da Alegria”, que tem divulgado vídeos amadores nas redes sociais, os integrantes se mobilizaram para uma nova produção: a confecção de centenas de máscaras de proteção individual que foram doadas ao Hospital Santa Terezinha de Erechim.

A indústria do amor “por trás das máscaras”

Com a quarentena, o processo de produção foi realizado em várias fases e com diferentes atores em respeito às determinações municipais para evitar o contágio da Covid-19: teve voluntário que costurou as máscaras em casa, outro participou com apoio financeiro, outro ainda foi ajudar a encher os frascos com álcool em gel.  Um mutirão da solidariedade que rendeu mais do que o esperado, pois o grupo recebeu a doação de tecidos para as máscaras e malha para as fitas de amarração, 15 litros de álcool em gel, 500 frascos de 30 ml para embalar o conteúdo, 121 barras de sabonete e 800 embalagens para produzir os kits.

“Tivemos doações sem nem mesmo pedir para realizar esse mutirão. Senti que se cada pessoa se doar, o ganho é grande, e poucos irão beneficiar muitos”, acredita Genocy Regalin. Outra coordenadora do projeto, Rosangela Pedott Cornelio, confirma que o movimento foi muito importante porque, “na mesma proporção que o coronavírus contagia uma pessoa, assim o nosso Vírus da Alegria, do amor ao próximo, do querer bem e fazer a diferença contagiou todo mundo. Quem não pôde trabalhar diretamente, acabou participando de outra forma, inclusive com grande envolvimento de fora dos Amigos da Alegria, e tudo fluiu com uma leveza e uma rapidez muito grande para que tudo acontecesse dessa forma”.

A voluntária Deborah Todeschini, uma das mais recentes integrantes dos Amigos da Alegria, acredita que ajudar o próximo dessa forma é ajudar a si mesmo: “enquanto participei da confecção das máscaras, refleti sobre a necessidade de doar tempo e amor. Acredito que essa seja a chave do futuro, o amor, a doação! Sempre há quem necessite de uma palavra de conforto ou um gesto de carinho, porque quem doa amor, recebe amor em dobro!”. Maria Zeneide Philippsen, outra voluntária, reforça, comentando que “o distanciamento social se faz necessário, mas o do coração, não, está sempre pertinho dos pacientes”.

A entrega dos 700 kits

De fato, na última quarta-feira (17), três representantes do grupo foram fazer a entrega oficial da produção em série dos Amigos da Alegria no Hospital Santa Terezinha. O diretor-executivo, Hélio José Bianchi, e a técnica em Segurança do Trabalho, Elisandra Ruzycki, receberam os 700 kits formados por máscaras de proteção, sabonetes e álcool em gel que já estão beneficiando pacientes, cuidadores e profissionais da saúde. As confecções foram agraciadas com bilhetes personalizados e escritos pelos próprios voluntários.

A psicóloga clínica do hospital, Luana Gasparetto Fontanella, comenta que “é uma forma de carinho que mesmo de longe está vindo para os pacientes e familiares, num momento em que a gente está muito carente dessa questão do carinho, porque as pessoas ficam muito sozinhas e têm pouca visita. Acho que eles se sentem abraçados e, ao mesmo tempo, vão estar protegidos. A gente vê muito a importância dessas ações, de pessoas que estão longe, têm a sua vida, mas estão se preocupando com quem está aqui dentro e passando por situação difícil”.

A vice-presidente dos Amigos da Alegria, Ana Elise Santin Biason, presente na entrega da doação ao hospital, afirma que com todo o mutirão de confecção e produção dos mais de 700 Kits se chega a uma única certeza: “fazer o bem faz bem”. Os outros 70 Kits serão divididos entre os integrantes dos Amigos da Alegria e as crianças e adolescentes carentes ligadas à Associação Recriando a Vida, do Bairro Presidente Vargas.

Publicidade

Blog dos Colunistas