Euro R$ 3,92 Dólar R$ 3,20

Publicidade

Saúde

“Larissa: a estrela de nosso presépio”

Por Izabel Seehaber
Foto Izabel Seehaber

A notícia sobre uma gravidez é normalmente motivo de alegria e satisfação a uma família. Imagina então, quando essa “boa nova” está sendo muito aguardada especialmente por um casal... Os corações transbordam de amor e expectativas.  

Um exemplo é a história de um casal que percorreram um longo trajeto até chegar a Erechim. O motivo? Acompanhe a seguir...

Marcieli Valmorbida Vicenzi (32) é bancária e Taciano Mezalira Conte (37) é agricultor. Juntos há cerca de 12 anos, eles residem no município de São João da Urtiga. A união e a cumplicidade do casal motivou a gravidez, cujo resultado do amor é a pequena Larissa.

Após muitas tentativas, neste ano a surpresa foi ainda maior com a confirmação da gestação. Toda a família estava ansiosa com o nascimento da menina que é a primeira neta, sendo que os avós já tem dois netinhos. “É a princesinha da casa”, afirmou a mãe emocionada.

Conforme o casal, a gravidez foi tranquila até os três meses e a partir da 33º semana houve algumas complicações, entre as quais, a pressão alta. “Foi um sufoco, fiquei internada várias vezes em Passo Fundo. A médica conversou conosco, disse que dependendo teríamos que interromper a gravidez e fazer a cesárea”, explicou.

A situação foi se agravando e o tempo foi se tornando decisivo. Foi preciso encontrar leitos em UTI neonatal, pois não havia disponível em Passo Fundo. “Começou a bater um desespero. Comparei com a saga de Nossa Senhora que batia em porta em porta e só ouvia que não tinha lugar, não conseguia ajuda”, relatou.

Após contato com várias instituições hospitalares, chegou a confirmação da vaga em Erechim. O casal se deslocou de carro, pois não haveria tempo de aguardar a ambulância de São João da Urtiga

Chegaram ao Hospital de Caridade à meia noite e o parto foi realizado na manhã seguinte. Ao nascer, a bebê foi direto para a UTI só para ganhar peso.

Desde o segundo dia ela já respira sem a ajuda de aparelhos. “Sempre falamos: não vamos desistir de você, é nossa guerreira”, afirmaram.

O casal elogiou o atendimento no hospital. “A equipe médica e de enfermagem transmite segurança, tranquilidade. A enfermeira Miriam é uma pessoa que temos como anjo da guarda”, citou.

Atualmente a rotina do casal envolve o caminho até o hospital três vezes por dia, entre visitas e retirar o leite. Devido à distância até o município de origem, Marcieli e Taciano estão hospedados em um hotel e afirmam que nem cogitam voltar enquanto a bebê estiver no hospital.

 

Um Natal diferenciado

Se o Natal já tinha um significado especial à família, imagina agora com a presença da tão esperada bebê. Mesmo passando pela data no hospital, pois a filha ainda não tem previsão de alta, o estímulo é a saúde, o clima de alegria. “Reunimos nossas famílias, enfeitamos a casa e agora temos a estrela do nosso presépio”, ressaltou.      

 

 

 

 

Publicidade

Blog dos Colunistas