Publicidade

Saúde

Santa Terezinha com fornecedores e serviços médicos atrasados

Por Rodrigo Finardi
Foto Rodrigo Finardi

No início dos anos 90, o hospital Santa Terezinha de Erechim foi comprado pelo então prefeito Antônio Dexheimer. Os que o sucederam acabaram de pagar. Desde que se tornou público que sofre com a falta de recursos. Às vezes mais, às vezes menos. Mas sempre com extrema dificuldade. Foi assim no primeiro mandato de Schmidt (1997 a 2000). Da mesma forma em dois mandatos de Eloi Zanella (2001 a 2008) e de igual maneira em oito anos de Paulo Polis (2009 a 2016). E não está sendo diferente agora, no primeiro ano de Luiz Schmidt.

A casa de saúde chega ao final do ano de 2017 acumulando dívidas com fornecedores e também serviços médicos: “para a folha de pagamentos dos funcionários viemos fazendo reservas e conseguimos pagar”, afirma o diretor executivo Hélio Bianchi, que está preocupado com a situação.

Tanto é que ontem (28) o jurídico do hospital entrou com um pedido de liminar na Justiça para que o Estado pague o que deve a casa de saúde no montante de quase R$ 5,8 milhões: “a expectativa é que pagassem R$ 1,9 milhão da média complexidade antes da virada do ano. Mas esse valor não resolve nossos problemas imediatos”, ressalta Bianchi.

O hospital já tem uma liminar que determina que o estado pague em dia, mas começou a atrasar novamente nos últimos meses: “não nos restou outra alternativa a não ser buscar ajuda jurídica para recebermos pelo serviço que já prestamos. Sei que é o período de recesso no Judiciário, mas esperamos que o plantão nos dê essa condição favorável para recebermos esses valores”, finaliza o diretor.

 

 

Publicidade

Blog dos Colunistas