Publicidade

Saúde

RS é o primeiro estado a fornecer medicamento pelo SUS para prevenção do HIV

Medicamento passou a ser oferecido pelo SUS em janeiro deste ano

1115294872685GD.jpg
Por Assessoria de Imprensa Governo RS
Foto Divulgação

O Rio Grande do Sul foi o primeiro Estado do país a fornecer o medicamento Truvada, que previne a infecção pelo vírus HIV. A primeira distribuição do medicamento foi realizada nesta terça-feira (9), no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) do Hospital Sanatório Partenon, em Porto Alegre, a um morador da capital, de 24 anos, que integra o grupo HSH (homens que fazem sexo com homens).

O medicamento passou a ser oferecido na rede pública no último dia 3, integrando uma estratégia de profilaxia pré-exposição (PrEP) do Ministério da Saúde. Esta é a primeira vez que o Ministério disponibiliza o tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS), e Porto Alegre foi a única cidade gaúcha escolhida para integrar essa fase do programa.

Inicialmente, o Truvada está disponível para pessoas que não têm o vírus, mas que são de grupos considerados de risco para exposição ao HIV: homens que fazem sexo com homens, gays, travestis, transexuais, transgêneros, profissionais do sexo e casais sorodiferentes (quando um dos parceiros é soropositivo e o outro, não). O medicamento deve ser tomado diariamente e, segundo o Ministério da Saúde, o uso correto reduz o risco de infecção por HIV em mais de 90%.

O uso da PrEP, no entanto, não substitui o uso do preservativo nas relações sexuais. "O preservativo continua sendo a forma mais acessível de prevenção do HIV e de outras infecções sexualmente transmissíveis, como a sífilis", ressalta a coordenadora estadual de IST/Aids da Secretaria Estadual da Saúde, Ana Lúcia Baggio.

Para ter acesso ao medicamento, o paciente pode se dirigir ao CTA (Av. Bento Gonçalves, 3722 - Porto Alegre), de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 17h. Após o cadastro do usuário no serviço, é feita uma avaliação, testagem e aconselhamento para HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, e avaliado o uso do medicamento ou de outras estratégias para prevenção.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas