Publicidade

Economia

Venda de Dia dos Pais deve superar expectativa do varejo

Lojistas esperam acréscimo de vendas em relação a 2017

Comercio tem boa expectativa de venda para o Dia dos Pais
Por Edson Castro
Foto Edson Castro

As vendas para o Dia dos Pais de 2018 devem registrar desempenho melhor para o comércio. Em relação ao ano passado o esperado é uma alta real de 3% a 4%, segundo Avaliação Econômica realizada pela Fecomércio-RS.

Porém, alguns setores, como calçados e roupas podem até mesmo surpreender em tamanho de vendas. É o que avalia a gerente da Loja Leve em Erechim, Luciele Chaparini. Segundo ela, o movimento neste ano tem surpreendido. “Acredito que poderemos ter um acréscimo de até 20%. Realmente estamos muito motivados pelo movimento gerado nos últimos dias e ainda estamos às vésperas do Dia do pais, o que costuma registrar um acréscimo de venda”, relata.

Sobre o fato de a véspera registrar maior movimento, o pensamento de Luciele casa com o de outra lojista, Elisabete Kieling Faggion, da Ourivesaria Cruzeiro do Sul. “Normalmente os três últimos dias de comércio aberto, antes da data, gera uma grande procura por parte dos clientes, o que impulsiona as vendas”, destaca.

Luciele cita que sapatos e sapatênis tem estado na preferência de compra para os pais neste ano. “Notamos um acréscimo significativo de venda destes itens, mas cintos, carteiras e outros itens mais tradicionais para a data, ainda tem boa procura”, explica.

No caso da loja de Elisabete, relógios e cuias personalizadas lideram a lista de procura, mas pulseiras, correntes e outros acessórios também tem saída. Ela explica ainda que a maior parte das vendas é feita para as esposas, que após, repassam aos filhos, que então entregam como presentes aos pais.

Ainda de acordo com Luciele, o movimento desta semana tem sido basicamente para venda de Dia dos Pais. “Acredito que 80% das pessoas que entram na loja, buscam algum presente para os pais”, aponta. A gerente cita também que o frio dos últimos dias contribuiu para melhores vendas, principalmente dos itens de inverno.

Reta final

Para quem ainda não comprou um presente para os pais, a oportunidade se estenderá até às 17h de sábado, uma vez que o comércio terá horário ampliado na véspera. Para quem comprar nas lojas integrantes da grade de eventos da CDL local, ainda concorre ao sorteio de uma tarde festiva, podendo estar acompanhado de até três filhos. Cada loja sorteará um pai.

Além disso, segue a campanha Show de Prêmios – 100 Anos, que terão próximo sorteio em setembro, e entre os prêmios, há um carro zero quilômetro.

Dia dos Pais

O comércio varejista gaúcho é influenciado por uma série de variáveis que refletem na confiança e intenção de consumo das famílias. Entre essas variáveis importantes estão a taxa de desocupação no Estado (8,50% no 1º trimestre), massa real de salários (-1,83% no confronto com o 1º trimestre de 2017), intenção de consumo das famílias (74,7 pontos), nível de comprometimento da renda com dívidas (20,02%), taxa de juros à pessoa física ao ano (53,79%), inadimplência de pessoa física (5,04%) e inflação (IPCA) em 12 meses (4,98%).

A Avaliação Econômica da Fecomércio-RS apurou que a alta das vendas deve favorecer alguns segmentos específicos do comércio, especialmente com a continuidade das baixas temperaturas nos dias que antecedem a data comemorativa. Assim, o varejo de roupas, calçados, vinhos e chocolates devem ser os mais procurados pelos consumidores. Pelo critério de preços, vinhos e chocolates têm maior chance de emplacar entre os consumidores por apresentarem opções com valores mais acessíveis.

Pesquisa

Embora os brasileiros ainda estejam sensíveis aos efeitos da lenta recuperação econômica e do desemprego, a maioria (61%) dos consumidores deve ir às compras neste Dia dos Pais – o dado é levemente superior aos 55% de entrevistados que realizaram compras na mesma data do ano passado. A conclusão é de um levantamento feito em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Apenas 28% dos consumidores não devem presentear alguém na data, sendo que a principal justificativa é o falecimento do pai (70%). Apesar de a intenção de presentear no Dia dos Pais ser elevada, a maior parte dos brasileiros está cautelosa na hora de gastar. Do total de potenciais compradores, 40% disseram que planejam gastar a mesma quantia que no ano passado. Os que vão desembolsar menos formam 16% da amostra, ao passo que 32% acreditam que vão gastar mais.

Entre as pessoas que vão às compras, o valor desembolsado com o total de presentes será, em média, de R$ 149,27 - valor que diminui para R$ 139,36 quando considerados somente os consumidores das classes C, D e E. De acordo com o levantamento, a maior parte (50%) dos entrevistados pretende comprar apenas um presente para o Dia dos Pais. Os que vão adquirir dois presentes somam 34% da amostra. (Com informações da FCDL-RS).

Publicidade

Blog dos Colunistas