Publicidade

Economia

Ser líder é saber ouvir e estimular o que cada um tem de melhor

Gestor é fundamental para construir soluções e melhores resultados na empresa

60% das empresas o feedback é insuficiente e a principal causa do desempenho ruim dos funcionários
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Divulgação

Como aumentar o comprometimento da equipe, ter um ambiente positivo e motivador, ter maior clareza de comunicação e escuta, habilidade de delegar tarefas às pessoas certas, fortalecer as relações interpessoais, ter foco em solução e resultados e ganho de tempo para as coisas mais importantes? Esses são alguns dos desafios, diariamente, dos gestores nas empresas, mas que, no entanto, podem ser resolvidos com treinamento e as ferramentas certas.

Segundo a psicóloga com formação em Coaching Executivo, Adriana Dalla Rosa Menegatti, e a psicóloga organizacional e Master Coaching, Luciane De Marchi Giaretta, o Líder Coach é a pessoa que exerce função de liderança ou quer exercer essa tarefa na empresa e que usa ferramentas de Coaching para desenvolver sua equipe, o potencial de cada pessoa.

Conforme Adriana e Luciane, uma das ferramentas que o gestor ou líder utiliza nesse processo é saber escutar, assim como, estabelecer uma comunicação clara e eficiente para fazer com que a equipe busque melhores resultados. “Despertando nas pessoas a busca por soluções”.

“Ele não dá as coisas prontas, ele não diz o que tem que fazer, mas instiga, desafia, faz a pessoa buscar o resultado por ela mesma através dos seus recursos. Isso faz com que as pessoas se sintam melhores no ambiente de trabalho”, explicam.

As pessoas são desafiadas pelo líder a buscar soluções inovadoras, sendo frequentemente estimuladas a isso. “É a velha história de ensinar a pescar e não dar o peixe pronto”, observam.

As psicólogas e monitoras de Coaching destacam que outro ponto importante é aprender a desenvolver os talentos das pessoas. “Como saber dar feedback (retorno do estímulo), saber ouvir, ter uma forma de escutar as pessoas e se comunicar”, destacam.

Adriana e Luciane enfatizam que outra questão significativa dentro das empresas é a busca pelo autoconhecimento. Para isso, o líder precisa apresentar ferramentas para que as pessoas analisem o seu perfil e o seu modo de atuação dentro das organizações. “São ferramentas para avaliar o nível de maturidade da equipe e como ela lida com adversidades”, afirmam.

Segundo elas, o autoconhecimento é muito importante no ambiente empresarial. “Uma pesquisa feita pela Fundação Dom Cabral definiu que o mais importante fator de sucesso e liderança é o gestor conhecer a si mesmo, ser um exemplo para o grupo”, ressaltam.

E, acrescentam, outro estudo com mais de 72 executivos de companhias públicas e privadas com receitas entre 50 milhões a 5 bilhões de dólares mostrou que o fator determinante de sucesso foi ter um elevado autoconhecimento. “Consciência das suas dificuldades e do que era bom. Isso fazia com que a pessoa se tornasse um líder melhor”. Assim, o líder tem um papel fundamental nesse processo de desenvolvimento do autoconhecimento no ambiente de trabalho. 

As monitoras de Coaching explicam que no mundo de hoje há muitos sistemas de gestão ultrapassados. Por exemplo, “aquele em que o gestor manda e as pessoas obedecem ou um sistema de gestão mais centralizador, muito presente na cultura brasileira, gaúcha. Isso é muito forte ainda”, enfatizam. Esse modelo de gerenciamento não faz com que as pessoas se sintam satisfeitas no ambiente de trabalho.

Um levantamento da Federação Internacional de Coaching mostra que em 60% das empresas o feedback é insuficiente e a principal causa do desempenho ruim dos funcionários. Conforme as monitoras, o gestor precisa olhar para o comportamento futuro, não voltado ao passado, não ao que estava errado, mas ao que a pessoa precisa buscar, melhorar para um comportamento futuro. “O líder precisa dar feedback, situar o liderado, orientá-lo, precisa dizer como está indo o funcionário e o que ele precisa melhorar”, observam.

É muito importante que o líder se aproxime e compreenda as necessidades da equipe, faça as pessoas se responsabilizarem pelo que elas fazem e pelos seus resultados. “Numa gestão mais centralizadora as pessoas se isentam da responsabilidade, elas dizem, foi o chefe que mandou era assim que ele queria. As pessoas não colocam ali seu coração e o seu talento, e não se responsabilizam pelos resultados”, destacam.

Adriana e Luciane ressaltam que dentro de uma nova visão de gestão e liderança, o líder tem outro perfil e atuação buscando instigar e estimular o liderado. “Vai ajudar a pessoa a fazer o plano de ação para melhorar os seus resultados, estimular ela a achar o foco e a solução da situação”, observam.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas