Publicidade

Política

Candidatos a deputado federal avaliam seus resultados nas eleições

Concorrentes também pontuaram sobre projetos futuros na política

camara deputados
Por Najaska Martins - najaska@jornalbomdia.com.br
Foto Rodrigo Finardi / Divulgação

Passadas as eleições do domingo (7) e divulgados os resultados das votações, o Bom Dia fez entrevistas com os candidatos da região que concorreram a cargos na Câmara dos Deputados para que façam suas avaliações sobre a participação no pleito. Além de analisarem suas campanhas e resultados, também foram questionados sobre seus projetos futuros na política.

 

 

 

 

 

Adacir Carlotto

Adacir Carlotto concorreu ao cargo de deputado federal pelo PHS e fez 5.321 votos que, devido a sua situação jurídica são considerados nulos pelo TSE até julgamento de recurso. Sobre sua participação no pleito, avaliou como positivo. “Estou muito feliz que a população de Erechim, pela primeira vez, manteve mais da metade dos votos para deputado para candidatos da nossa e região. Acredito que isso mostra que a região está amadurecendo e entendendo que precisamos de um deputado federal na cidade, afinal, nos últimos 20 anos deixamos de receber mais de R$ 340 milhões em emendas por não termos um parlamentar e agora ficaremos mais um mandato sem essa verba. Quanto aos votos que recebi da população agradeço muito e acredito que deveríamos ter mais gente disposta a mostrar seus projetos. Por outro lado fico triste que a população ainda vote em quem recebe dinheiro público para fazer campanha, pois isso é como se dessem aval para que o dinheiro que poderia ser investido em saúde, educação e segurança pública vá para campanhas políticas”, disse.

Questionado sobre planos futuros, Carlotto destacou que pretende seguir atuando em sua empresa. “Sempre digo que o futuro pertence a Deus. Sigo trabalhando na minha empresa, fazendo o que fiz na vida inteira, dando empregos e gerando renda para a região”, completou.

André Jucoski

Concorrente pelo PDT, André Jucoski conquistou 7.272 votos (0,12%). Sobre sua participação no pleito, avaliou o resultado como satisfatório, principalmente em razão da inserção em diferentes municípios. “Considerei uma votação muito expressiva e positiva especialmente porque recebi a confiança de eleitores em toda a região e em mais de 100 municípios. Minha proposta teve uma aceitação muito boa e saio orgulhoso, principalmente porque tivemos uma campanha muito humilde, com poucos recursos financeiros contra campanhas milionárias. Também acho que foi uma eleição que termina com um saldo satisfatório pelo alto percentual de votos que ficou na região. Por outro lado, entendo que todos nós precisamos ainda amadurecer muito politicamente, inclusive no que se refere ao comprometimento enquanto cidadãos sobre a importância de votar”, destacou, ao agradecer os eleitores que lhe dedicaram os votos.

Sobre próximos passos na política, Jucoski citou a continuidade do trabalho no Legislativo Erechinense. “Vou focar ainda mais no meu mandato e em melhorá-lo bem como divulgar mais as ações que tenho feito, aprofundando o contato com a população”, salientou ao destacar que ainda está avaliando a possibilidade de próximos passos na política.

Carlos Pomagerski

Candidato pelo PP, Carlos Pomagerski fez 5.998 votos (0,10%). Ao avaliar sua participação, disse ter ficado decepcionado em relação ao que esperava nas urnas. “Foi minha primeira participação em uma eleição e, levando em conta que as pessoas buscavam a renovação e apostavam em uma pessoa nova, minha expectativa era maior e isso não se concretizou. Por mais que eu não fosse conhecido, esperava que as pessoas levassem em consideração meu histórico, pois tenho um currículo considerável, experiência nos três poderes e acredito que poderia ter feito muito pela região. Saio desta eleição um tanto decepcionado, mas também agradecido pelas pessoas que acreditaram. Esses quase seis mil votos que conquistei foram muito conscientes. Fizemos uma campanha limpa e seguimos a lei. Apesar do pouco espaço, do tempo limitado de campanha e de não termos ganhado verba do fundo partidário, fizemos o que podíamos”, avaliou.

Sobre projetos futuros, destacou que focará em seus projetos acadêmicos. “houve um desgate muito grande nesta campanha e sem o resultado que esperava, então a princípio, como estou bem colocado na minha profissão e tenho vários projetos no campo acadêmico, agora vou visar minha carreira, também estou avaliando a possibilidade de ir para os Estados Unidos terminar um projeto na área acadêmica”, completou.

Paulo Polis

Candidato pelo MDB, Paulo Polis fez  37.012 (0,63%) e ficou na segunda suplência na Câmara Federal. “Avalio esse resultado como muito positivo, pois entendo que foi a primeira tentativa firme da região em eleger um deputado depois de 20 anos na fila de espera. Conseguimos cumprir a nossa meta de mostrar para a comunidade que temos sim viabilidade eleitoral e, com isso, a região dá um grito de libertação com os candidatos de fora, pois prova que nós temos condições de eleger um deputado federal e também mais de 700 fizeram votos. Por isso eu só tenho a agradecer em quem confiou no nosso projeto. Também quero chamar atenção aos prefeitos, vereadores e lideranças políticas da nossa região para que nessa eleição tenham quitado as dividas eleitorais do passado e que entendam que no próximo pleito temos que olhar para cá, pensar em nossa população, ou seja, que não assumam novos compromissos futuros com candidatos de fora para ter a liberdade de escolher alguém daqui”, disse.

Sobre o futuro na política, destacou que seu primeiro plano é a curto prazo com a campanha na reeleição de Sartori no Estado. “Essa é nossa chance para que deputados eleitos possam continuar como secretários e então tenhamos a oportunidade na Câmara Federal”, disse ao complementar que prefere não especular no momento projetos para uma próxima eleição.

 Ito Muller

Candidato pelo PPS, Ito Muller fez 1.263 votos (0,02%). Ao avaliar seu desempenho na eleição, destacou que o sentimento quanto ao resultado nas urnas é diferente do pessoal. “Nas urnas não alcancei o que esperava, mas o meu resultado pessoal é de muita satisfação, pois foi uma caminhada muito positiva e uma experiência fantástica, inclusive pela coragem de colocar o nome à disposição para um projeto de região. Conheci muitas pessoas, vi de perto a realidade da região e tudo isso servirá de aprendizado. Me sinto realizado por isso, pois dei uma oportunidade para mim e para a região. Por outro lado, vejo que ainda há nas pessoas a ideia de que um deputado fará milagre, quando na verdade focar nossas energias em projetos viáveis e trabalhar dentro da nossa realidade”, pontuou.

Sobre seus planos futuros, destacou que embora não tenha intenção de disputar novas eleições, pretende seguir colaborando com a região. “Independente do resultado nas urnas, é um plano meu seguir contribuindo com projetos que desenvolvam a região. Quero muito ajudar Erechim porque é uma cidade muito maior e capaz do que pensamos. Tenho boa vontade, tenho conhecimento e uma grande rede de relacionamentos que pode me permitir ser útil em um modelo de uma Erechim ainda melhor”.

Sandra Picoli

Candidata pelo PCdoB, Sandra Picoli fez 2.232 votos (0,04%) e se disse satisfeita com os resultados alcançados “A gente sempre espera mais, mas tudo foi muito positivo, principalmente se analisar a amplitude da campanha e levando em conta que me dediquei apenas à região e que ainda assim não consegui visitar todos os municípios, além da questão do baixo volume financeiro. Foi uma experiência maravilhosa que mostrou que o diálogo com as pessoas se faz necessário. Foi uma campanha de muita visita em que pude perceber que uma grande parte do público não conhece a vida da Câmara, por exemplo. De qualquer maneira consegui transmitir minha mensagem, levar minhas bandeiras e propostas, consegui conquistar muitos amigos, promover o debate com as pessoas e conhecer mais de perto as necessidades da nossa população de Erechim e região que está muito carente de alguém olhe por essas pessoas”, disse.

Sobre o futuro, pontuou que seguirá atuando no Legislativo “Continuo trabalhando com ainda mais vontade na Câmara até o fim do meu mandato. Estamos num momento bem delicado da política, mas é cada vez mais necessário seguir a luta em fazer o melhor pelo povo. Sigo trabalhando e lutando pelo que acredito”, disse ao ressaltar que ainda não analisou a possibilidade de voltar a concorrer uma próxima eleição.

 

 

 

Publicidade

Blog dos Colunistas