Publicidade

Tecnologia

Espaço para descobrir talentos, fomentar soluções e gerar novos negócios

Essa é a proposta da Incubadora Tecnológica de Erechim, inaugurada oficialmente, na tarde desta sexta-feira (19), pela administração municipal por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Cassiano Calegari
Lucas Jaskulski
Diego Andretta
Altemir Barp
Nathana Zys
Por Ígor Dalla Rosa Müller
Foto Ígor Dalla Rosa Müller

Um projeto realizado por muitas mãos e visões, que busca transformar a realidade desenvolvendo tecnologias e novas empresas. Um espaço para descobrir talentos, fomentar soluções e novos negócios. Essa é a proposta da Incubadora Tecnológica de Erechim, inaugurada oficialmente, na tarde desta sexta-feira (19), pela administração municipal por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Conforme um dos idealizadores da Incubadora Tecnológica, Cassiano Calegari, na abertura do evento, empreender em tecnologia é uma tarefa difícil e algo diferente de qualquer outra empresa, já que a inovação pode demorar anos para se efetivar. Ele observa que foi difícil colocar em prática a Incubadora Tecnológica. “Erechim já foi uma cidade extremamente inovadora. No entanto, a inovação de 40 anos atrás já não é mais a mesma de hoje em dia. As empresas que começam a surgir hoje precisam de um ambiente diferente para se formar. E é isso que a incubadora vai oferecer. Será uma forma de semear essa nova geração de empreendedores, auxiliando a construir as suas empresas”, ressalta.  

Outro idealizador do projeto, Lucas Jaskulski, ressalta que Erechim perde muitos talentos para grandes centros. “Os jovens aqui esperam ansiosamente o dia que vão sair de Erechim. A nossa cidade e o nosso estado afastam esses talentos”, afirma.

E, acrescenta Lucas, “empreender no Brasil virou sinônimo de coragem, loucura e ser empregado sinônimo de gratidão ao patrão. Mas a gente não está aqui para falar de problemas, mas de soluções, essas que pouco a pouco vão mudar a nossa realidade e proporcionar uma melhor vida não só para nós, mas nossos filhos e netos”, destaca.

Conforme ele, o projeto já tem êxito, porque das 10 vagas para incubadas já foram preenchidas sete e das cinco vagas para as empresas âncoras já tem quatro ocupadas. “A gente acertou na nossa ideia inicial, atingiu o primeiro degrau. Agora é hora de fazer as incubadas terem sucesso, sair daqui estruturadas e darem espaço para os novos empreendedores que virão”, observa. Por fim, salienta, que Erechim é a maior nota de Startupweekend do Brasil.  

“Erechim está fazendo história”, afirma o gestor local da incubadora, Diego Andretta. O espaço vai servir para desenvolver tecnologias e resolver demandas das empresas. A incubadora já tem projetos em andamento de automação residencial, assistência de celular e na área de recursos humanos.  

Startupweekend Erechim

O Startupweekend Erechim segundo uma das organizadoras, Nathana Zys, é um movimento voltado para empreendedores, entusiastas, que tem uma ideia de negócio e não sabem como tirá-la do papel. O evento conta com mentores de diversas áreas para que possam instruir as equipes participantes a chegar ao final do evento e apresentar uma ideia válida de negócio para um corpo de jurados. “Todas as empresas que saírem daqui tem uma oportunidade de fomentar seu negócio”, explica. A terceira edição de Erechim terá a participação de 120 pessoas. “Sucesso total”, afirma.

Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Conforme o secretário de Desenvolvimento Econômico, Altemir Barp, a Incubadora Tecnológica é o primeiro projeto do segmento na região. “Estamos entregando para Erechim a primeira Incubadora Tecnológica do Alto Uruguai”, afirma.  

Barp observa que a incubadora vai trazer benefícios para as empresas de toda a região. “Aqui serão desenvolvidos grandes e pequenos projetos”, comenta. Ele explica que as empresas vão poder desenvolver soluções tecnológicas para as suas demandas, os seus “gargalos”.  

Assim, comenta Barp, os projetos desenvolvidos na incubadora tecnológica vão contribuir para o desenvolvimento das empresas dando competitividade para elas no mercado.     

O projeto da incubadora inicia com os pés no chão, observa Barp, tem o objetivo de produzir soluções e tecnologia local, e com o tempo, a exemplo de outras incubadoras do país, pode movimentar grandes valores por meio de projetos maiores.  

Ele explica que 70% da incubadora já está preenchida com quatro empresas âncoras e sete incubadas. As empresas âncoras são Cavaletti S/A Cadeiras Profissionais, Creral Telecom, Menno Equipamentos de Escritório e Sicredi Superintendência de Erechim. “Essas empresas vão demandar serviços, como também acompanhar o desenvolvimento de projetos”, afirma.

O secretário observa que para participar da incubadora será por meio de editais com avaliação de uma comissão julgadora, para ver se a proposta tem viabilidade, fundamentação. “O projeto vai passar por um processo de escolha por várias pessoas”, salienta.

Barp ressalta que esse é um projeto de longo prazo e com o passar dos anos a região poderá ver grandes realizações serem executadas. O importante não é pensar no momento político, esclarece, “mas sim em desenvolver toda a região com esse tipo de projeto, que vai trazer grandes benefícios para todos”, conclui.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas