0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Economia

FCDL-RS avalia como positivas as propostas do governo federal para recuperar a economia

Presidente Vitor Augusto Koch entende que as ideias em estudo podem favorecer o ambiente de negócios e melhorar o cenário econômico do país

Vitor Augusto Koch
Por Assessoria de Imprensa
Foto Divulgação

As medidas que o governo federal está anunciando para a área econômica, com o objetivo de destravar o ambiente de negócios e incentivar o crescimento da economia do país, são bem recebidas pelo presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

O dirigente ressalta que, em uma análise inicial, o pacote econômico traz aspectos importantes para fomentar a retomada do crescimento econômico brasileiro, mas ainda necessita de um detalhamento maior para ver se terá sucesso.

- Nos parece que as ideias propostas pelo governo federal, de reduzir a burocracia empresarial, investir em tecnologia e qualificar mão de obra para o mercado são adequadas ao momento em que o Brasil precisa voltar a ter competitividade, empregabilidade e geração de renda para a população. São alguns dos aspectos citados há algum tempo pelas entidades empresariais como impulsionadores da retomada econômica do país – avalia Vitor Augusto Koch.

O presidente da FCDL-RS destaca que uma das questões ventiladas no pacote, a possibilidade dos micro e pequenos negócios anteciparem via mercado financeiro o recebimento de valores devidos por órgãos públicos, deve trazer benefícios para as MPEs. Isso garantiria mais capital de giro e criaria maior liquidez para empreendimentos que, muitas vezes, não podem esperar pela demora que ocorre no pagamento.

No entendimento de Vitor Augusto Koch, a adoção de medidas concretas que façam a economia girar é extremamente necessária, uma vez que a sensação de estagnação que é sentida atualmente acaba prejudicando o cenário econômico de forma geral. Por isso, a iniciativa de mexer no setor de crédito, que apresenta grandes dificuldades para que empresas e pessoas físicas tomem novos empréstimos é algo que deve ser implementado rapidamente.

Publicidade

Blog dos Colunistas