14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Saúde

Todas as regiões entram na bandeira laranja

Mapa bandeiras.jpg
Por Da redação/ Com informações Governo RS
Foto Divulgação

O novo mapa do Distanciamento Controlado do mês de setembro, divulgado a pouco, revela uma situação pela qual muitos gaúchos esperavam: a melhora de indicadores. Todas as 21 ‘regiões Covid’ estão classificadas, nesta 21ª rodada, em bandeira laranja (risco epidemiológico médio). O mapa foi divulgado, também, pelo governador Eduardo Leite em transmissão ao vivo nas redes sociais.

Novos registros de hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que resultaram em diagnóstico confirmado de covid-19, caíram 25% nas últimas semanas – de 1.016 para 793. Além disso, entre as duas últimas quintas-feiras, o número de óbitos causados pela doença reduziu 19%, de 338 para 273.

Em relação ao número de internados em UTI por SRAG, houve queda de 9% (de 884 para 806) e o número de internados em leitos de UTI com covid-19 reduziu 5% (de 693 para 658). Esses declínios, constatados entre as duas últimas quintas-feiras, resultaram na elevação do número de leitos de UTI adulto livres, que cresceu 11% entre as últimas quintas-feiras, de 614 para 684.

Até o momento, o cenário de um mapa totalmente alaranjado ainda não havia se apresentado no Estado. A última vez que o RS registrou bandeira amarela (risco epidemiológico baixo) foi na oitava rodada (duas regiões), entre os dias 30 de junho e 6 de julho. Desde então, o mapa oscilava entre bandeiras vermelhas e laranja.

Em todo o Estado, se observou melhora em todos os indicadores, em especial nas novas hospitalizações (-25%) e em óbitos (-19%). Com isso, ficaram mais leitos livres.

Mesmo com o aumento dos pacientes internados por outros motivos, a queda do número de internados por Covid-19 e a abertura de novos leitos se traduziu em elevação na razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19.

Alertas - Macrorregião Norte

Nesta rodada do Distanciamento Controlado, três regiões covid obtiveram média final com avaliação de bandeira vermelha: Palmeira das Missões, Erechim e Passo Fundo.

Os registros de hospitalizações dos últimos sete dias reduziram 18,4%, passando de 136 para 111 na macrorregião (somando as três regiões covid). Com relação a SRAG, enquanto há sete dias havia 76 internados, a  quantidade de pacientes diminuiu para 73 no último dia. No caso de leitos clínicos, o número de pacientes passou de 75 para 72, uma redução de 4%. E com relação aos internados por covid-19 em leitos de UTI, o decréscimo foi de 10%, passando de 61 para 55 pacientes.

O indicador relacionado a capacidade de atendimento melhorou no comparativo entre as semanas, passando de bandeira preta para vermelha. O percentual de pacientes confirmados para covid-19 em leitos de UTI, com relação aos leitos livres, reduziu, mas o nível ainda é elevado e merece atenção. Enquanto na semana passada havia 0,90 leitos de UTI livres para cada leito de UTI ocupado por paciente covid-19, nesta semana o indicador passou para 1,07.

No comparativo do número de leitos livres de UTI no último dia para atender covid-19 entre as duas quintas-feiras, verifica-se um aumento no número de leitos de UTI livres para atender covid-19, passando de 55 para 59, fazendo com que o indicador tenha atingido bandeira amarela.

Portanto, com as variações nos números de internados e na velocidade do avanço da doença, os dois indicadores macrorregionais que mensuram número de pacientes internados em UTI (por SRAG ou covid-19) e o indicador de internados em leitos clínicos (covid-19) obtiveram bandeira amarela. Os indicadores de capacidade de atendimento e de mudança na capacidade de atendimento, mensuradas pela macrorregião, obtiveram bandeira vermelha e amarela, respectivamente.

Avaliação

O integrante do Comitê da Associação de Municípios do Alto Uruguai (Amau), Jackson Arpini, reforçou que a equipe trabalha para manter a Região 16 no grau de médio risco e monitora os dados da semana, de sexta até essa quinta-feira. “Os indicadores de internações hospitalares melhoraram, os casos ativos diminuíram e os óbitos, apesar do aumento em relação a semana passada, não comprometeram a média ponderada de 1,35. Precisamos manter a vigilância nesse momento em que os números indicam uma curva decrescente, mas não podemos perder de vista que estamos diante do coronavírus. Contudo, ainda, persiste o chamado para que a população adote todas as medidas preconizadas de prevenção”, destacou.

 

Publicidade

Blog dos Colunistas