Euro R$ 3,85 Dólar R$ 3,26

Publicidade

Cultura

Veja, ouça, sinta

Por Najaska Martins - najaska@jornalbomdia.com.br
Foto Najaska Martins

Festival de Cinema Acessível e Banrisul exibirá filme adaptado para pessoas com deficiência

Veja, ouça, sinta: o pedido para explorar estes três sentidos está diretamente ligado à proposta de um evento a ser realizado no próximo mês em Erechim, com o objetivo de fomentar a inclusão e sensibilizar a comunidade sobre sua importância por meio da cultura. Trata-se do Festival de Cinema Acessível e Banrisul. A iniciativa será no dia 26 de outubro no Centro Cultural 25 de Julho e consiste na apresentação de uma produção do cinema nacional totalmente adaptada em termos de acessibilidade para que pessoas com diferentes tipos de deficiência possam assistí-la.  

O festival é organizado pelo Banrisul por meio de sua Universidade Corporativa Banrisul. Nesta sexta-feira (22), o gerente do banco em Erechim, Obaldo Veron, a educadora Marta Silva Neves e o coordenador do projeto e consultor de acessibilidade, Rafael Martins dos Santos, se reuniram com representantes de entidades pertencentes ao Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Compede) e poder público municipal. O encontro serviu para apresentar a iniciativa e, em conjunto, pontuar sobre aspectos necessários para a realização do festival.

Na ocasião também foi possível decidir junto às entidades o filme que será apresentado – Dois Filhos de Francisco – além de questões relacionadas aos horários. Isto porque, conforme os organizadores, o festival visa contemplar não somente as pessoas com deficiência e seus familiares, mas também a comunidade em geral a fim de promover uma sensibilização e conscientização acerca da importância da inclusão.

“Oportunidade através da cultura”

A empolgação na hora da escolha do filme “Dois Filhos de Francisco” para apresentação durante o festival, implicitamente demonstra a importância do evento. Lançado em 2005, o longa-metragem que conta a história dos músicos sertanejos Zezé di Camargo e Luciano já foi amplamente difundido, tendo levado quase cinco milhões de espectadores ao cinema. No entanto, passados 12 anos de seu lançamento, o filme poderá ser visto pela primeira vez por um público que até então não era contemplado em termos de acessibilidade.

Segundo Rafael, este, como os outros cinco filmes que fazem parte do festival passaram por um processo de “acessibilização”, no qual foram inclusas audiodescrição, legenda explicativa e janela de Libras. Além disso, a escolha do espaço para apresentação da obra no festival também respeita questões de acessibilidade, de modo a contemplar também as pessoas com deficiências físicas, a exemplo de cadeirantes. “Sem dúvidas é uma oportunidade através da cultura, pois em muitos casos estas pessoas nunca antes tiveram a possibilidade de estar em um cinema ou mesmo de assistir estes filmes”, destacou o coordenador do projeto, citando como exemplo casos de outras cidades nas quais o Banrisul realizou o festival.

O gerente do banco em Erechim também pontuou sobre a sensibilização da comunidade a partir de iniciativas como esta. “É uma maneira que temos de nos colocarmos no lugar do outro, de sermos empáticos. Sem dúvidas, é algo que nos sensibilizará para o dia a dia, para que melhoremos nossas atitudes em termos de atendimento ao público, ou seja, fazendo a inclusão acontecer de fato”, salientou Obaldo.

Convite à comunidade

A iniciativa já teve nove edições realizadas no interior do Estado, levando um público de 1.115 pessoas ao festival no ano de 2016. Em Erechim o evento será realizado no dia 26 de outubro, no Centro Cultural 25 de Julho, a partir das 13h30, com a apresentação do filme Dois Filhos de Francisco. O evento será integrado à programação da Feira do Livro do município. A educadora Marta Silva Neves explica que para fins de organização, interessados podem se inscrever através do e-mail pessoas_cinema_acessivel@banrisul.com.br.

Leia também

Publicidade

Publicidade

Blog dos Colunistas