4°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,13 Dólar R$ 5,37
0°C
Erechim,RS
Previsão completa
Euro R$ 6,13 Dólar R$ 5,37

Publicidade

Cultura

Em meio a pandemia, músico lança canção com mensagem otimista

Com letra suave, “Seguir” de Andy Pugliese indica a esperança como recurso para enfrentar situações difíceis

Andy Pugliese
Por Amanda Mendes
Foto Arquivo Pessoal

“Seguir apesar do temporal / desligar a cabeça e continuar / o caminho que iniciou alguma vez / se arriscar a ganhar ou a perder”. Essa é a mensagem do músico argentino, Andy Pugliese, que está vivenciando esse período de quarentena, em função da pandemia provocada pelo novo coronavírus, em Erechim.

Por coincidência, essa nova canção, chamada “Seguir”, começou a ser escrita em dezembro de 2019, mas a composição ficou pronta nesse momento de distanciamento social. “De maneira espontânea surgiu a ideia de produzir uma música com uma vibração mais positiva, orientando para as pessoas não desanimarem frente às situações difíceis”, contou à reportagem do Jornal Bom Dia.

“Nunca imaginei que o planeta iria entrar em uma pandemia e, que eu terminaria de compor e gravar a música, nesse período. Não foi planejado, mas aí apareceu a música ‘Seguir’ como uma mensagem, que a princípio estava falando para mim mesmo, e, que ao mesmo tempo, poderia usar para animar outras pessoas. A letra está em espanhol, por eu ser argentino, más já foi traduzida para o português com a ajuda do professor de história e meu amigo, Lucas Faitão”, acrescentou Pugliese.

A canção foi publicada no aplicativo IGTV do Instagram no início de maio. Nos próximos dias deverá ser lançada na plataforma de transmissões de músicas, podcast e vídeos, Spotify. O cantor recomenda, ainda, sua composição "Buen Día", que também traz mensagens positivas para enfrentar situações delicadas.

Sobre Andy Pugliese

Andy Pugliese se destacou no Brasil, bem como, em Erechim e na região do Alto Uruguai, por ter participado por três anos da banda Star Beatles.

Nascido em Buenos Aires, capital argentina, Pugliese comenta que suas principais influências na música são seu avô e seu pai. “Meu avô sempre tocava violão e cantava tangos, já meu pai foi baixista na sua juventude e me mostrou todas as bandas de rock que amo até hoje”.

Assim, após se formar como tradutor de Inglês, a música se tornou prioridade na vida de Pugliese. “Comecei a me interessar por viajar e tocar fora da Argentina. O Brasil foi um dos primeiros lugares que me apresentei com bandas cover, antes de decidir me dedicar a minha identidade particular no mundo da música”.

“Com a Star Beatles, tocamos no Cavern Club de Liverpool, no mesmo palco em que os Beatles se apresentavam. No ano seguinte dessa conquista, fui fazer um maravilhoso tour no Canadá com a banda The Beatles Experience. Finalmente, decidi que não queria mais me dedicar a ‘fazer de’, porque acredito que a identidade genuína de um músico se acha detrás da máscara. Foi aí que eu comecei a gravar as minhas músicas e entrei na banda "The Otherness", banda de música autoral que faz tours só na Europa. Em 2019, eu fiz com eles o show mais importante da minha vida, em Londres, tocamos no mesmo palco onde o Liam Gallagher, vocalista de Oasis, apresentou o seu primeiro álbum ao vivo. Com a mesma banda, tocamos na Dinamarca, Áustria, Holanda, Alemanha e em várias cidades da Inglaterra”, concluiu.

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas