14°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Publicidade

Cultura

Projeto Orquestrando Talentos da Orquestra de Concertos de Erechim dá início aos concertos didáticos virtuais

Primeira apresentação aconteceu dia 11 de junho, por meio das redes sociais

teste
Concerto de violinos
Por Assessoria
Foto Divulgação

Um concerto didático virtual realizado no dia 11 de junho, por meio das redes sociais, deu início à apresentação dos resultados da 3ª edição do Projeto Orquestrando Talentos desenvolvido pela Orquestra de Concertos de Erechim (OCE). Neste primeiro vídeo participaram 20 alunos de violino, de 8 a 40 anos, que tiveram como professores Murilo Andreolla e Rudolfo Krüger, tendo ao piano a professora Márcia Ferreira.

Segundo o regente e Diretor Artístico e Pedagógico da Orquestra de Concertos de Erechim, Murilo Gustavo Andreolla, este foi o primeiro de uma série de seis vídeos que mostrarão o trabalho desenvolvido com cada um dos instrumentos junto aos alunos: violino, violoncelo, contrabaixo, percussão, sopros e canto e coral. De acordo com o professor, todas as peças gravadas estão num contexto camerístico ou solístico, e, às vezes, acompanhadas por gravação. Toda produção – ensaios, gravação e edição dos vídeos – contou com o acompanhamento de perto do regente, que também dedicou atenção especial aos alunos e professores.

DESENVOLVER TALENTOS

O Projeto Orquestrando Talentos, que vem sendo desenvolvido desde 2015, quando foi aprovada a primeira edição, tem como objetivo oferecer aulas de musicalização a crianças e jovens, desenvolvendo o talento individual de cada integrante, oportunizando a prática musical de forma a contribuir com o desenvolvimento de habilidades artísticas. Eles participam de aulas de formação musical, ensaios e apresentações, integrando quatro diferentes grupos: Madrigal (coral), aulas de instrumentos, Orquestra Escola e Orquestra de Concertos de Erechim.

As aulas encerraram no mês de maio e foram oferecidas gratuitamente, de forma online e algumas de forma presencial, sempre seguindo os protocolos vigentes devido à  pandemia da Covid-19. A presidente da OCE, Sirlei Carlezzo, explica que projeto se estenderá até dezembro de 2021, quando será exibido um vídeo compilado de uma música, juntando todos os grupos da Orquestra. “Até o final do ano pretende-se realizar dois Concertos presenciais,  sendo um no Centro Cultural 25 de Julho, sem cobrança de ingressos, com apresentação da Orquestra Escola, do Madrigal e da OCE e um Concerto-Orquestra em um bairro da cidade. As datas dependerão da liberação para a realização de eventos por parte das autoridades sanitárias”, afirma.

Sirlei comenta que, do mesmo modo que o anterior, esse foi um mais um ano difícil, pois as aulas tiveram que ser de forma online e apenas algumas presenciais, onde foram observados todos os protocolos para evitar a propagação do vírus, sendo que ela comemora por não ter surgido nenhum caso confirmado entre professores e alunos.

Para a presidente, esse período tem sido um divisor águas nos 70 anos da OCE. “Jamais imaginamos dar aulas online. Os instrumentos são todos acústicos e por meio da tecnologia foi muito difícil fazer essa transição”, revela. Entretanto, ela reconhece que esse formato veio para ficar. Sirlei também fala que uma orquestra só se forma quando toca em grupo, por isso a grande dificuldade dos últimos tempos.

QUEREMOS CONTINUAR

Apesar de todos os entraves, a presidente da OCE diz estar preparada para enfrentar uma quarta edição do Projeto Orquestrando Talentos. Segundo ela, um dos objetivos da OCE é formar músicos para manter a orquestra viva. “Queremos continuar descobrindo talentos, incentivando o aprendizado e aperfeiçoamento de jovens instrumentistas, envolvendo crianças e jovens de diversos bairros de Erechim e formando futuros músicos profissionais que garantirão a continuidade a Orquestra de Concertos de Erechim”, revela o professor de violino Rudolfo Krüger.

Um obstáculo, para Sirlei e Rudolfo, é que nem todos têm a música como projeto de vida, então os músicos vêm e vão, sendo que alguns voltam depois de alcançarem seus estudos de mestrado ou doutorado. “E é isso que faz com que não esmoreçamos diante de uma pandemia”, concluem.

O projeto Orquestrando Talentos – 3ª edição teve aprovação junto ao Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura e conta com o patrocínio das empresas: Cavaletti Estofados para Escritórios Ltda, Cercena S/A– Indústria Metalúrgica, Cropfield Distribuidora de Insumos Agrícolas Ltda, Futura Insumos Agrícolas Ltda, Gasparin Cereais Ltda, Ke Soja Comércio de Insumos e Máquinas Agrícolas Ltda, Master ATS Supermercados LTDA, Plaxmetal Ltda, Peccin S/A e Sementes Estrela Comércio Importação e Exportação Ltda.

 

Leia também

Publicidade

Blog dos Colunistas