25°C
Erechim,RS
Previsão completa
0°C
Erechim,RS
Previsão completa

Cultura

72 anos: Orquestra de Concertos de Erechim comemora data com Jantar Concerto

Evento, marcado por forte emoção, foi na noite de sábado (4) no CER Atlântico, com apresentação de documentário e lançamento do “Clube Amigos da OCE”

teste
O concerto que marcou a data, durou aproximadamente 50 minutos, e foi um bálsamo para a alma, com di
O concerto que marcou a data, durou aproximadamente 50 minutos, e foi um bálsamo para a alma, com di
O espetáculo foi regido pelo novo maestro da OCE, Bernardo Grings
Por Rodrigo Finardi
Foto Stylus Fotos

A Orquestra de Concerto de Erechim (OCE), inovou no seu aniversário de 72 anos, com a realização de um Jantar Concerto, no Salão Del Prete do Clube Esportivo e Recreativo Atlântico, na noite do último sábado, 4. Noite de muita emoção, que marcou também a apresentação do novo maestro, Bernardo Grings e a apresentação de um documentário, de pessoas que contribuíram para a orquestra nessa sua caminhada longeva.

História construída com amor e dedicação

A OCE é composta por Escola de Música, Orquestra de Concertos, Coral e Camerata. E, nessa sua trajetória de 72 anos de atividades ininterruptas, se tornou um bem cultural de Erechim e da região.  Atualmente, com seu quadro de professores especialistas, oferece aulas de violino, viola d'arco, violoncelo, contrabaixo, instrumentos de sopro (trombone de vara, trompete, flauta doce, flauta transversal e clarinete), percussão, técnica vocal e canto.

A escola de música atende crianças, jovens e adultos de todas as classes sociais, com formação humana e educação musical. Desperta, assim, o interesse pela música instrumental e pelo canto coletivo.

Inúmeros músicos formados pela OCE estão brilhando em outros palcos, o que comprova a qualidade da formação ofertada e o caráter cultural da orquestra.

Hoje a OCE está faz parte do movimento orquestral do Brasil e já está convidada para participar do Gramado In Concert em 2023

Situação atual

A OCE sempre teve o apoio da Prefeitura de Erechim que ao longo de décadas contribuiu para que a orquestra se mantivesse ativa e queremos que esta parceria permaneça forte e saudável. 

O Centro Cultural 25 de Julho, desde sua fundação, em 1983, acolhe a OCE em sua estrutura. E é lá, nesses quase 40 anos, que é desenvolvida as atividades de escola de música e orquestra.

Desde 2020, com o advento da pandemia de Covid-19, a OCE, assim como todas as entidades culturais, sofreu com a proibição das aulas presenciais. Mesmo assim se adaptou com aulas on-line.

Porém, desde dezembro de 2021, com a interdição do Centro Cultural 25 de Julho, estão desalojados e sem local para as atividades. Essa situação, inevitavelmente, tem prejudicado imensamente a OCE e os seus alunos e integrantes.

Criado Clube Amigos da OCE

Para tornar a data ainda mais especial, foi anunciado o lançamento do “Clube Amigos da OCE”. Por meio dele, cada um tem a oportunidade de aderir a uma causa social e cultural e contribuir com bolsas de estudos de formação musical para crianças e jovens. Para mais detalhes, basta seguir a OCE pelas redes sociais (Instagram e Facebook)

Documentário

À noite, também reservou o lançamento de um documentário, que trouxe uma retrospectiva da OCE, pelo ponto de vista dos maestros e apoiadores. Participaram do documentário Rudolfo Affonso Krüger; Cesar Augusto Kreische; Eloi João Zanella; Marlei Klein; Aldo Ademar Hasse; Liliane Tramontini; Eliete Barcelos; Mauricio Castelli e Bernardo Grings

Bálsamo para a alma e “Perfume de Mulher”

Após a exibição do documentário, foi a vez dos músicos afinarem seus instrumentos, o que precedia uma belíssima apresentação, regida pelo novo maestro Bernardo Grings, que é “prata da casa” e teve sua formação musical como aluno da OCE.

A cada música, os aplausos efusivos dos presentes. Durante quase 50 minutos, foi um bálsamo para a alma, com clássicos e outras músicas. E por ser um bálsamo, o repertório não poderia ter sido melhor escolhido e encerrou a participação com a música do filme “Perfume de Mulher”, onde Al Pacino, que deu vida a um Tenente-Coronel aposentado que ficou cego no campo de batalha, dança um tango, cena que ficou para a história do cinema mundial. Uma noite para ficar para história, de quem saboreia a boa música.

Publicidade

Blog dos Colunistas